03/04/2008

Medo do escuro

Engraçado o rumo que a vida toma algumas vezes...eu olhava e via tudo escuro, sem perspectiva qualquer de luz. Não queria entrar no que, p'rá mim, era escuridão. Tava com medo do desconhecido. Entrei em desepero...
Foi quando decidi enfrentar o medo: tudo estava adverso e confuso. E quanto o mais, mais eu enfrentava. Nadei contra a maré. Corri em alta velocidade com uma parede a cinco metros de distância. Não me afoguei...rompi essa barreira. Enxerguei a luz, que foi se tornando cada vez mais forte e tudo se tornou iluminado.
Então assim percebi que nem sempre o que achamos que pode ser prejudicial é prejudicial. O que aparentemente não queremos pode ser o melhor p'rá nós. O problema é o período necessário p'rá conseguirmos enxergar esse melhor, porque geralmente desistimos no meio do caminho e não deixamos a oportunidade, o melhor aparecer. E continuamos no medo, sem lutar, sem tentar, sem enxergar a luz que está por vir...
Eu não tenho mais medo do escuro.

Um comentário:

Talita Dafne disse...

Saudade de você Carol...